Atendendo os objetivos financeiros de curto, médio e longo prazo

Muitas pessoas ao chegar o dia 10 de cada mês, já gastaram praticamente todo o salário com as contas do mês passado. Se isso não acontece com você, provavelmente você conhece várias pessoas assim.

Existe uma crença dominante para as pessoas com visão de curto prazo que é: ” A vida é uma só, tenho que viver bem” ou ” Não sei se estarei viva(o) amanhã, vou viver intensamente o hoje”. Concordamos que é importante viver bem o hoje e curtir alguns prazeres no presente, até porque a maioria de nós tem convivido com altos níveis de estresse e ansiedade e esses prazeres são uma forma de contrabalancear e alcançar o equilíbrio interno.

Por outro lado, quando nosso foco está somente no agora, qualquer contratempo gera um desequilíbrio financeiro e consequentemente dívidas.

Imagine que você irá viver até os 80 anos.

Se seu foco é somente no agora, quem manterá você no futuro, quando sua energia para fazer dinheiro não será mais a mesma e as oportunidades serão escassas? Irá depender de um filho? Do INSS ( Lembre-se da tradução: Isso Nunca Será Suficiente)?

A responsabilidade sobre o seu futuro é somente de uma pessoa: você.

Quando não desenvolvemos nossa visão de médio e longo prazo, para bens e serviços mais caros, parcelamos pagando juros e muitas vezes temos que abrir mão daquele bem por não ter como honrarmos com aquele compromisso.

A visão de longo e médio prazo nos permite a voos mais altos: abrir um negócio, comprar uma casa, um carro, alcançar a independência financeira, ou seja lá o que for, mas sem interferir no presente fazendo apenas alguns ajustes. Para isso é preciso disciplina e abrir mão de algo hoje.

Pense e reflita: como posso viver bem hoje e construir para que o futuro seja tão bom ou melhor que o presente?

Qual o primeiro movimento que você decide fazer?

Deixa nos comentários que queremos muito saber.

Abraços,

Dalton e Marcelo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.